CINE ATLANTICO
Bilhete Normal: 1 Sessão - €3,00 / 8 Sessões - €18,00
Sócios: 1 Sessão - €1,50 / 8 Sessões - €8,00
*Deve adquirir o seu bilhete antes do início de cada sessão
A MOSTRA
Mostra de Cinema Português Contemporâneo 4ª Edição

A relação de Agustina Bessa-Luis com o cinema serviu de inspiração para a quarta edição do Cine Atlântico’19 – Mostra de Cinema Português Contemporâneo, com programação de José Vieira Mendes.

Em primeiro lugar, por causa de ‘A Portuguesa’, o filme realizado por Rita Azevedo Gomes, que foi escrito pela notável romancista, e também pelo facto de Agustina Bessa-Luís ter escrito muitas histórias para alguns dos melhores filmes de Manoel de Oliveira. Por isso, ‘A Portuguesa’ tornou-se num dos filmes de referência na programação deste ano.

É neste sentido da procura de referências na história e na cultura portuguesas, que o Cine Atlântico’19 pretende continuar a ser a montra privilegiada na Ilha Terceira de grandes histórias (de ficção e documentais) do cinema nacional e, das melhores e mais premiadas obras cinematográficas da temporada. Em complemento, o crítico de cinema Carlos Natálio proferirá uma conferência subordinada ao tema “Agustina Bessa-Luís e o Cinema”, a anteceder a exibição deste filme.

Além do sucesso de ‘A Portuguesa’, na Berlinale 2019, com o seu olhar sensível e feminino partir do conto de Robert Musil, a programação deste ano sai reforçada com 8 filmes ao todo, que vão ser apresentados, como é habitual, na mítica sala de cinema da Sociedade Filarmónica de Instrução e Recreio dos Artistas.

A sessão de abertura da Mostra será feita simbolicamente na mágica e festiva noite de 31 de outubro, com ‘Variações’, de João Maia (2019), o filme português mais visto do ano até agora, numa homenagem a um ícone da cultura pop nacional e que se vai prolongar pela Noite de Halloween adentro, com música e outras atividades no nosso food partner, O Pirata Gastropub, que nos farão relembrar o legado musical e estético de António Variações (1944-1984); e também transformar esta noite num acordar das gloriosas memórias dos ‘loucos’ anos 80, em Portugal, década em que o país mudou significativamente em muitos aspetos.

Além destes dois filmes, vamos apresentar também ‘Mar’, de Margarida Gil (2019), um filme de um sonho de uma mulher, que quer seguir a rota dos Descobridores Portugueses do século XVI; ‘Diamantino’, de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, (Grande Prémio da Semana da Crítica no Festival de Cannes 2018) uma sátira contemporânea sobre uma estrela de futebol em decadência, que fala com pronúncia açoriana; num regresso aos anos 80, com a história recente de Portugal e, com ‘Snu’, de Patricia Sequeira, que conta a história de amor incompreendida de Sá Carneiro e Snu Abecassis, que terminou no trágico acidente de Camarate a 4 de Dezembro de 1980.

Antes da melhor ficção nacional contemporânea, vamos viajar para além do Atlântico e conhecer os questionamentos de um rapaz da comunidade de indígenas krahô, do norte do Brasil em ‘A Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos’, de João Salaviza e Renée Nader Messora, que viveram esta história e fizeram um filme entre o documentário e a ficção, que ganhou o Prémio Especial do Júri da secção ‘Un Certain Regard’, do Festival de Cannes 2018.

Para terminar, dois grandes filmes portugueses que procuram chegar ao grande público, sem que isso contrarie grandes exigências artísticas e cinematográficas: 'Linhas Tortas' (2019), a primeira longa-metragem de Rita Nunes, uma ficção passada na atualidade, em que as relações sentimentais passam pela Internet, numa interessante história de amores e desamores enganosos.

Por último, na noite de 3 de novembro, a estreia de ‘A Herdade’, de Tiago Guedes, a saga de uma família de proprietários rurais, a sul do Tejo que é um extraordinário retrato de Portugal e da sociedade portuguesa dos anos 40, até aos nossos dias, e que foi muito aplaudida pela crítica internacional no Festival de Veneza 2019 e tornou-se o candidato português aos Óscares de Melhor Filme em Língua Estrangeira, em Hollywood.

Como tem sido habitual, o melhor do cinema português do ano passa sem cerimónias pela Ilha Terceira, e pelo Cine Atlântico, que contará com a presença do realizador do “Variações”, João Maia, e do produtor de “Herdade”, Paulo Branco.

Lá vos espero no Recreio dos Artistas com algumas das equipas dos filmes para os apresentarem e fazermos as nossas habituais e enriquecedoras conversas cinéfilas.

Até já.

José Vieira Mendes, Setembro 2019

PROGRAMA
Cinema Portugês Contemporâneo

31 OUT./ 21H30
VARIAÇÕES
com a presença do realizador, João Maia

01 NOV./ 19H30 Conferência
“AGUSTINA BESSA-LUÍS E O CINEMA”
por Carlos Natálio

01 NOV./ 21H30
A PORTUGUESA
Rita Azevedo Gomes

02 NOV./ 16H00
MAR
Margarida Gil

02 NOV./ 18H30
DIAMANTINO
Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt

02 NOV./ 21H30
SNU
Patrícia Sequeira

03 NOV./ 16H00
LINHAS TORTAS
Rita Nunes

03 NOV./ 18H30
CHUVA É CANTORIA NA ALDEIA DOS MORTOS
João Salaviza

03 NOV./ 21H30
A HERDADE
Tiago Guedes, com a presença do produtor Paulo Branco

FILMES
Cinema Portugês Contemporâneo
Edições anteriores . 2018 . 2017 . 2016
© 2019 WEBDESIGN - MARCO PEREIRA
www.000webhost.com